segunda-feira, 14 de março de 2011

Encontro

A amor resolveu me atingir, chegou em mim. Veio de forma completa, que nem eu posso entender. Às vezes, pasmo. Quis que ele esperasse, fosse embora e retornasse em um momento mais propício. Recuei-me e fiquei na espreita. Porém, não dava mais, ele insistiu, aguardou e se instalou. Alojou-se de tal forma que um instante faz falta. Fica um sentimento de vaga vazia, de tempo parado e distância inescrupulosa a atormentar um pobre ser.
Chama por mim o deslumbramento dos momentos passados juntos. O poder sentir o carinho por um toque, um beijo, um gesto... Aquele olhar que penetra quando tudo para, embora o mundo não pare – entretanto, eu sei que tudo recua e nos deixa passar. E, caso uma desvairada alma ou circunstância se recusar a deixar o amor tomar seu espaço, verá que o que fora criado para vinculação não pode se esvair.
Se demorar, ficarei; se custar, pagarei. Sei o que sinto, o vejo em minha mente nos segundos contados. Em mim permanece, cresce o anseio pela visita desse afago – o afago. Enquanto não posso tocá-lo, apenas sigo a cultivar esse gosto, cuidando-lhe. E fica aqui, continuo por ti.
Saiba que escolhi caminhar, contigo.

Um comentário:

Lucas Magalhães. disse...

"Quando eu estou contigo, sou livre, descuidado, eu acredito."

Eu queria apenas palavras pra dizer, mas todas elas correm quando eu te vejo... rs.

Te amo e sou grato por você.